Plantas medicinais

À semelhança de qualquer medicamento, as plantas medicinais são óptimas para tratar certas doenças ou benéficas em determinadas situações, mas ao mesmo tempo podem ser contra-indicadas noutras. Outras poderão ser nocivas em casos de sobredosagem, dadas as suas propriedades tóxicas.

Sempre que escolher uma planta para um tratamento, consulte a lista de contra-indicações para se certificar que ela não é desaconselhada para a sua situação. A mesma lista inclui também os perigos de toxicidade das plantas em que ele existe.

 


 

Tratar a infecção urinária

É um problema recorrente e comum, causado pelos micróbios presentes na urina. Com um tratamento relativamente simples, é ainda assim uma doença bastante dolorosa e que causa grandes transtornos.

Não sendo um tratamento tão rápido como aquele feito com medicamentos químicos, as plantas medicinais constituem ainda assim uma alternativa perfeitamente natural e que combate com maior eficácia a habituação dos microorganismos que rapidamente se habituam aos antibióticos sintéticos.

Plantas para uma pele mais bonita

Por irritação da pele entende-se um qualquer tipo de lesão (sem ser contusão nem ferida) da pele, causada pelos mais variados motivos, desde contactos com químicos, exposição solar, alergias, etc.

Estas plantas medicinais, aplicadas localmente, exercem uma acção anti-inflamatória e suavizam a pele, contribuindo para a rápida recuperação do seu aspecto normal.

Tratar a malária

Apesar de se encontrar erradicada de vários países (sobretudo mediterrânicos), metade da população mundial vive em regiões endémicas, incluindo o Brasil. Causada pela picada de mosquitos anopheles, é uma doença grave, apesar de tratável. É também conhecida como paludismo.

Tal como noutras patologias graves, as plantas medicinais não constituem uma terapia única, mas podem contribuir para o aumento do bem-estar e para auxiliar o tratamento principal.

Tratar inflamações nos rins

Uma das inflamações dos rins mais comuns é a nefrite, responsável por grande parte dos problemas renais. Tem origem, habitualmente, em infecções, e é uma das principais origens da necessidade de hemodiálise.

A nefrite deverá ser tratada por médicos especializados, constituindo as plantas medicinais um importante auxílio no tratamento dos rins e sobretudo na regeneração dos tecidos afectados. A acção exercida é, principalmente, diurética e anti-inflamatória.

Tratar a osteoporose

A osteoporose afecta uma grande parte dos idosos, consistindo na perda de massa dos ossos, tornando-os mais vulneráveis a fracturas, traumatismos e deformações. Uma alimentação correcta é a chave para o tratamento da osteoporose, em grande parte à base de leite.

Estas duas plantas medicinais constituem um complemento a esse tratamento geral, que deve ter acompanhamento médico.

Tratar a osteoporose

A osteoporose afecta uma grande parte dos idosos, consistindo na perda de massa dos ossos, tornando-os mais vulneráveis a fracturas, traumatismos e deformações. Uma alimentação correcta é a chave para o tratamento da osteoporose, em grande parte à base de leite.

Estas duas plantas medicinais constituem um complemento a esse tratamento geral, que deve ter acompanhamento médico.

Tratar pedras nos rins

Popularmente conhecida como pedras nos rins, a urolitíase caracteriza-se pelo aparecimento de substâncias sólidas nos rins, chamadas cálculos. Estas substâncias, em circunstâncias normais, estão dissolvidas e são expelidas pela urina; as causas desta patologia são muito variáveis, desde a predisposição genética ou hereditariedade

Tratar a pele seca

Não sendo necessariamente uma doença, a pele seca pode causar incómodos consideráveis. Estas plantas medicinais permitem suavizá-la e hidratá-la, ao mesmo tempo que abre os poros e protegem a camada de gordura da pele que previne precisamente a secagem excessiva da mesma.

Tratar psoríase

A psoríase é uma doença de causas desconhecidas, que faz com que as células da pele cresçam a um ritmo acelerado, o que por sua vez origina uma aparência escamosa.

Apesar de não existir nenhuma cura para a psoríase, o seguinte conjunto de plantas medicinais (aplicado localmente) contribui para fornecer um aspecto mais saudável e esteticamente agradável.

Tratar a tuberculose

Longe vão os tempos em que a tuberculose era sinónimo de fatalidade certa. Apesar de ser ainda uma doença bastante grave, debilitante e altamente contagiosa, os tratamentos actuais já permitem contê-la e tratá-la, ainda que se arraste por vários anos.

Tal como noutras patologias graves, as plantas medicinais não constituem uma terapia única, mas podem contribuir para o aumento do bem-estar e para auxiliar o tratamento principal.

Tratar a inflamação da uretra

A inflamação da uretra – uretrite – é em muitos casos acompanhada de uma cistite (inflamação na bexiga), sendo consequência ou causa desta primeira. Tal como na cistite, a origem é bacteriana e frequentemente exterior.

O tratamento para a uretrite através de plantas medicinais é bastante semelhante ao da cistite, com a diferença de algumas delas poderem (e deverem) ser aplicadas localmente através de uma sonda urinária.

Tratar edemas

Os edemas consistem na acumulação de líquidos por parte do organismo, o que levam a um “inchaço” localizado e, em casos mais graves, generalizado a todo o corpo. Podem ser originados pela gravidez e por problemas de vários tipos, como cardíacos, renais e hepáticos.

As plantas medicinais promovem o aumento da produção e expulsão de urina, contribuindo para a eliminação dos líquidos em excesso.

Tratar a celulite

A celulite é o pesadelo de qualquer mulher, devido às consequências estéticas que implica. Apesar de não causar grandes preocupações clínicas, a celulite é uma das doenças a cujo combate se dedica mais atenção… e fundos também.

A aplicação local destas plantas medicinais limpa e purifica a pele, ao mesmo tempo que ajudam a reduzir o tecido adiposo e tonifica os tecidos. Uma alternativa natural bem mais agradável que as dezenas de cremes com produtos químicos disponíveis no mercado.

Combater a caspa

Um problema bastante comum que provoca grandes incómodos. A caspa tem origem em escamas no couro cabeludo, tratando-se clinicamente da patologia dermatite seborreica.

Praticamente todas as marcas de champô têm gamas anti-caspa, mas pode também utilizar um tratamento perfeitamente natural e igualmente eficaz.

Plantas medicinais para combater a caspa:

  • Abacate – óleo
  • Limão – sumo diluído

Combater a queda do cabelo

A principal causa para a queda do cabelo é hormonal, devido aos androgénios masculinos – o que explica também ser um problema mais comum nos homens.

Estas plantas medicinais, aplicadas localmente como loção, ajudam a combater a calvície, fortalecendo o cabelo e agindo como tónico capilar.

Plantas com risco abortivo

Como em qualquer medicamento, também as plantas medicinais têm diferentes propriedades e diferentes utilizações. Apesar de serem bastante úteis em muitos casos, também existem contra-ordenações que devem ser alvo da máxima atenção.

Uma das principais precauções que deve considerar é em caso de gestação. Existe um conjunto de plantas que devem ser evitadas se está grávida, pois têm um risco abortivo elevado.

Tratar a esterilidade feminina

Quando uma mulher é incapaz de conceber, pode-se dever a várias causas, desde orgânicas a funcionais. As plantas medicinais são úteis quando está em questão uma origem funcional.

Estas actuam sobretudo ao nível do sistema hormonal, estabilizando-o e repondo o seu natural funcionamento. Ao mesmo tempo, estimulam também a actividade do aparelho reprodutor. No caso da damiana, terá ainda um efeito afrodisíaco.

Tratar a esterilidade masculina

A esterilidade masculina é a incapacidade de fecundação do óvulo por parte do sémen, e pode ter muitas causas diferentes.

As plantas medicinais aumentam a produção e a vitalidade dos espermatozóides, além de funcionarem, como efeito secundário, como afrodisíacos e aumentam ainda a potência sexual.

Plantas medicinais para o tratamento da esterilidade masculina:

  • Ginseng – pó da raiz ou extractos
  • Damiana – infusão de folhas ou extractos

Tratar os gases

Uma das principais causas para os gases é a fermentação intestinal, que é causada pela falta de sucos digestivos. Uma flora bacteriana deficiente leva também a este problema bastante desconfortável e embaraçante, e o primeiro passo será sempre a mudança de hábitos alimentares. Alguns dos alimentos que mais potenciam a produção excessiva de gases são o leite, os legumes ou bolos.

São muitas as plantas medicinais que ajudam a expulsar os gases, através de uma acção carminativa. O carvão vegetal é também bastante eficaz para evitar a sua produção.

Tratar as hemorróidas

As hemorróidas são, na sua essência, varizes localizadas no ânus e na parte interior do recto. Têm muitas vezes origem na gravidez e na prisão de ventre, apesar de também variar com a constituição dos pacientes.

As plantas medicinais ajudam no tratamento e na prevenção de hemorróidas, com um efeito tónico venoso, anti-inflamatório e analgésico, ajudando a cicatrizar e portanto reduzir o seu tamanho.

Tratar a impotência sexual

A incapacidade de conseguir uma erecção tanto pode ter origens psicológicas como físicas. Se no primeiro caso a chave reside na ajuda especializada de sexólogos ou psicólogos, no segundo surge motivada por problemas como diabetes ou a arteriosclerose.

Se a impotência sexual é causada por problemas psicológicos, poderá consultar as plantas medicinais especialmente indicadas para o tratamento dessas doenças ou do sistema nervoso.

Tratar a insuficiência dos ovários

Além de serem os responsáveis pela produção e libertação dos óvulos, os ovários produzem também estrogénio e progesterona (as hormonas sexuais). Em qualquer altura da vida da mulher qualquer uma destas funções – ou ambas – podem sofrer alterações, devido a uma capacidade insuficiente por parte dos óvulos.

Estas plantas medicinais actuam ao regularizar o ciclo mentrual, acalmando as respectivas dores, e equilibrando a produção e libertação de hormonas.

Páginas